Você conhece seu corpo? Masturbação feminina é normal…

Precisamos deixar certos tabus de lado para falar deste assunto, porque a mulher na esfera sexual sempre esteve de lado e a sombra do homem. Hoje em dia a coisa mudou e as mulheres assim como os homens tem o direito ao prazer sexual que sempre foi renegado e coisa praticamente exclusiva dos homens.

A masturbação feminina é uma coisa hoje natural, porque a mulher assim como o homem tem seus desejos e necessidades sexuais, mas isso sempre foi uma coisa meio que proibida e escondida pela sociedade patriarcal, onde o homem sempre teve poder absoluto sobre a mulher.Resultado de imagem para se toque masturbação

Os tempos mudaram e novos comportamentos vieram para ficar e a mulher não é apenas uma sombra do homem, faz parte ativamente da sociedade e contribuí não apenas no ramo familiar, mas financeiramente. E agora neste patamar a mulher também é dona do seu corpo e do seu prazer sexual e nada mais natural que assim como o homem, ela pode sim ter o prazer sexual através da masturbação e isso não é mais um mito, mas uma coisa natural e normal.

Muitos ginecologistas dizem que a masturbação feminina é aconselhada porque só faz bem a mulher e não tem nada de anormal ou negativo, pelo contrário. O mais importante é estar afim e não ser uma coisa imposta. A masturbação é como um exercício e só faz a mulher se sentir bem consigo mesma. Claro que tudo em excesso faz mal a nossa saúde, por isso nada de exageros.

Podemos chegar a inclusão que a masturbação feminina faz bem e é saudável e pode ser feita por todas as mulheres independente da idade, ajuda a diminuir o estresse, melhora a autoestima, além da mulher conhecer seu próprio corpo. Além disso ajuda a prevenir cólicas menstruais, porque melhora a musculatura do colo do útero.Resultado de imagem para se toque masturbação

Agora é só descomplicar, esquecer os tabus que envolvem o assunto e partir para ação, sem se sentir culpada por isso.

Fontes,

DAMASCENO, Catia. Masturbação femenina, 7 segredos para gozar sozinha. 26.06.2018. 2018. Disponível em: <http://superela.com.br>. Acesso em: 06 ago. 2018.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *