Será que Amor Platônico é coisa do passado?

Você sabe o que é o amor platônico?

Aposto que você já ouviu falar, soube de alguém, ou até viveu um amor platônico pelo menos uma vez na sua vida. Mas você realmente sabe o que é isso? O amor platônico é um termo usado para nomear um amor impossível ou não correspondido, que vive no campo do pensamento, na imaginação.

De acordo com o filósofo Platão, que foi quem nomeou esta expressão, o amor é uma motivação que nos faz descobrir e contemplar a beleza em si. Este pensamento, que faz parte do Dualismo, é baseado em uma teoria que diz que a realidade é formada pelo espírito e a matéria.

Poético, não é mesmo? Mas será que ainda há amor platônico atualmente ou isso ficou no passado?

Amor platônico na atualidade?

Sim, ainda há amor platônico na atualidade e possivelmente sempre irá existir, porque se trata de uma admiração em relação à pessoa amada. Sempre que alguma pessoa é endeusada e colocada em um pedestal, é possível dizer que existe esse sentimento platônico, já que está vivo dentro de uma ilusão.

O amor platônico pode acontecer nas mais diversas situações. Aquela paixão secreta pelo professor (a), pelo médico (a), o personal trainer, ou até por um(a) amigo(a) próxima. A pessoa nunca tem coragem de se declarar e segue amando e sofrendo por amor.

Normalmente uma pessoa admira na outra tudo aquilo que gostaria de ter nela mesma. Então, se você é mais frio, possivelmente irá sentir amor platônico por uma pessoa carinhosa.

Nos dias atuais, relações como estas podem ser vistas em todos os campos, entre adolescentes, adultos e idosos e não tem problema, desde que isso não seja um reflexo de solidão, baixa-autoestima ou depressão.

Em alguns casos, o amor platônico pode ser desenvolvido por conta de alguns destes fatores. Se esta for a sua situação, procure ajuda de um profissional. Não precisa ter vergonha!

As fases do amor platônico

O amor platônico é muito mais complexo do que você imagina, tanto que existem diferentes fases!

Novamente, de acordo com Platão, o amor surge quando nos deparamos com a beleza e o ato de amar pode ser definido como um impulso ou a determinação que nos força a conhecer e contemplar alguém. Tudo isso acontece por etapas graduais, sendo cada uma delas um tipo de beleza. Veja:

  • Beleza corporal: nesta primeira parte, se inicia com o sentimento de amor direcionado a um corpo belo em particular e pode evoluir para contemplar a beleza como um todo;
  • Beleza da alma: em seguida,começamos a focar o interior dessa beleza, que está relacionado ao plano moral e cultural de uma pessoa. É nessa parte que o amor transcende o aspecto corporal e físico, atingindo o aspecto interno: a alma;
  • Beleza da sabedoria: na terceira etapa, que é conduzida pelas duas anteriores, trata do amor para outros conhecimentos, que vai mais além da própria pessoa amada;
  • Beleza em si mesma: é a possibilidade de experimentar o amor pela sua própria beleza e desprendida de qualquer objeto ou sujeito. Esse é o nível de amor supremo, o maior de todos!

Este último passo, é caracterizado por conhecer a beleza de forma apaixonada, portanto, desinteressada e pura para Platão. Contempla um sentimento que não se corrompe e nem muda com o passar do tempo. Por isso, não se trata de um amor impossível em si, mas sim de um que se basta na apreciação das ideias e das formas perfeitas, inteligíveis e eternas.

A evolução do amor platônico

O amor platônico foi um estudo da filosofia e conforme os anos foram passando, este termo foi categorizado em diferentes subseções.

Até este momento, temos sete tipos de amor e você irá conhecê-los agora:

  • Eros: uma perspectiva moderna do amor romântico, um amor sexual ou apaixonado;
  • Philia: é o tipo de amor direcionado à amizade ou à boa vontade. Em muitos casos, recebem benefícios mútuos, que podem ser formados por companheirismo e confiabilidade;
  • Storge:  amor entre pais e filhos e que, geralmente, é um amor unilateral;
  • Ágape: é o amor universal, que pode ser entre estranhos, natureza ou Deus;
  • Ludus:o tipo de amor brincalhão e descomprometido, focado por diversão;
  • Pragma:  se baseia no dever e na razão e nos interesses de longo prazo.
  • Philautia: é o amor-próprio, usado para construir auto-estima e confiança.

Porém, além dos estudos de filosofia, o Amor Platônico é uma realidade que pode ocorrer bem perto da gente. Você pode ter vivido um amor platônico ou até ter sido alvo de um apaixonado platônico.

Agora que você já conhece as diversas formas de Amor Platônico, pode comentar aqui com a gente se já viveu ou conhece alguém que viveu um amor platônico e como foi. Ou se você foi alvo de um Amor Platônico. Como se sentiu? Como superou?

One comment

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *