BDSM – tem coisas que você gosta, só que ainda não sabe!

Você sabe o que é BDSM? Se não, prepare-se para entender que essa prática não se trata apenas de chicotes e correntes o tempo todo e também não pense que tudo se resume ao que foi mostrado nos livros/filmes de 50 Tons de Cinza.

O BDSM é um conjunto de práticas, que inclui Bondage e Disciplina (B e D), Dominação e Submissão (D e S), Sadismo e Masoquismo (S e M). Por existirem diversas atividades e serem praticadas por diferentes pessoas, o termo acabou se tornando uma sigla. Um fato curioso sobre este universo é que, nem sempre precisa envolver o ato sexual, isso vai depender de cada um e as suas escolhas.

Confira abaixo algumas explicações das práticas do BDSM:

Bondage

A Bondage, traduzido do inglês e do francês, significa escravidão ou cativeiro, e é a arte de amarrar uma pessoa para ter prazer erótico. Para deixar a pessoa imobilizada, você pode usar cordas, fitas, correntes, panos e até algemas. Vale ressaltar que todos esses materiais precisam ser específicos para o erotismo.

Procure uma loja especializada nesse tipo de produto, e se você preferir, pode imobilizar somente uma parte do corpo, deixando as outras partes livres, e pode até mesmo usar mordaças para deixar a experiência mais interessante. A fonte de prazer na Bondage está no contexto da dominação, então, antes de começar a praticar, converse muito bem com quem estará envolvido.

Disciplina

Tem disciplina no BDSM! Isso acontece quando a pessoa dominante impõe regras para a pessoa submissa. Quando alguma ordem é quebrada, há um castigo usado para disciplinar, que pode ser físico, psicológico ou a combinação de ambos. A punição pode ser tudo aquilo que o dominador desejar. A dica é usar a criatividade de uma forma erótica.

Dominação e submissão

A parte de dominação e submissão do BDSM envolve o lado mental, já que é uma relação bem desigual. É claro que tem uma combinação por trás disso tudo, mas, de qualquer maneira, todo o poder fica com o dominante, ou seja, com a pessoa que está mandando na situação. Enquanto isso, o submisso deve fazer tudo o que for mandado e sem contestar nada. Pode parecer um pouco estranho para algumas pessoas, mas esta é a graça do BDSM e principalmente é uma escolha dos praticantes, nada que envolve o BDSM é algo que não esteja acordado previamente.

Sadismo e masoquismo

Por último, temos o sadismo e o masoquismo, que envolvem a troca de dor física ou mental. Neste contexto, o sadismo é um tipo de prazer sexual através da humilhação e qualquer outro tipo de dor. O masoquismo é a satisfação de ser humilhado e ferido, mas não precisa ficar assustado, tudo isso acontece dentro do contexto sexual. Isto quer dizer que o BDSM é saudável e pode ser feito por qualquer pessoa. Faça sem medo e sem vergonha e sempre respeitando o que a pessoa envolvida quer.

O que mais eu preciso saber sobre o BDSM?

O BDSM é uma das maneiras de praticar o prazer através de xingamentos, algemas e imobilização com cordas ou correntes, mas não é só isso que você precisa saber para conhecer essa prática. Existem detalhes que valem um pouco mais de atenção, principalmente para quem está começando:

  • Safeword (palavra de segurança)

A palavra de segurança é como se fosse um sinal escolhido pelo submisso para interromper o ato e garantir a segurança caso seja necessário. Você pode escolher qualquer safeword, mas dê preferência para algo mais fácil e que não seja possível usar no contexto sexual. Use algo como “sinal vermelho” ou “pare”. A escolha é livre, assim como explorar o seu próprio prazer.

  • Acessórios

A essência do BDSM são os acessórios, como algemas, chicotes e a bondage, então coloque a cabeça para funcionar e pense em qual quer usar primeiro. Escolha alguma coisa mais confortável e que você tenha confiança de usar ou vá em um Sex Shop e observe o que desperta mais o seu interesse. O mais importante disso tudo, é que você e a pessoa que irá participar conheçam seus gostos e limites. Vá em busca de algo que satisfaça a todos e veja o quanto essa experiência pode dar outra cara para a relação.

  • Não precisa ter sexo

Nem sempre tem o sexo envolvido no BDSM, até porque não são a mesma coisa. Para algumas pessoas, não precisa ter relação sexual, pois, as amarrações e a submissão, por exemplo, já são o ápice do prazer. Pense que ambos são parceiros, mas não precisam um do outro, necessariamente, para satisfazer alguns dos praticantes. Tudo é questão de gosto e escolha.

  • Dominantes e submissos

Dentro do BDSM há dois tipos de perfis, que são as pessoas dominantes e as submissas. Quem é dominante, também é conhecido como superior ou sadista, é alguém que gosta de provocar a dor. Já o submisso ou inferior, é a pessoa que gosta de sentir a dor, como um masoquista. A escolha para ser o que quiser no BDSM é muito livre, inclusive, você pode ser os dois: dominante e submisso conforme a situação ou a sua vontade.

Para qualquer prática no momento íntimo é importante que os envolvidos estejam dispostos a fazer. As práticas do BDSM ainda existem alguns tabus, mas com o passar dos anos as pessoas vão conhecendo e entendendo seu funcionamento. Se você tem curiosidade, busque conhecer e veja o momento certo para dar início, não tenha receio dos seus desejos e vontades se for algo acordado com o (a) parceiro (a), não há mal algum. E você, o que achou do BDSM? É o que esperava? Conte para nós!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *